Dicas para Evitar Dívidas e Ajustar o Orçamento em Tempos de Crise

Atualmente, conquistar objetivos financeiros e evitar dívidas é possível, desde que você saiba como administrar suas finanças pessoais, pois uma má gestão de dinheiro, pode implicar na negativação do seu nome, pendências que viram uma bola de neve, além do colapso financeiro que afeta a qualidade de vida.

Para fugir de gastos excessivos e cortar despesas, é preciso conhecer quais as dicas para evitar dívidas e ajustar o orçamento em tempos de crise, uma vez que, imprevistos acontecem e você sempre deve estar preparado para enfrentá-los.


A realidade é que uma crise financeira não pode ser facilmente prevista, pois existem muitas razões que a desencadeiam: mudanças nos hábitos de consumo, problemas de saúde, desemprego, solicitação de créditos que posteriormente não podem ser pagos ou aparecimento de cobranças surpresas em serviços ou produtos financeiros devido à falta de conhecimento, além de situações improváveis como a pandemia causada pelo COVID-19.

O importante é não se desesperar nesse tipo de situação, pois, além de afetar o equilíbrio financeiro, as crises também impactam emocionalmente, diminuindo a autoestima, e prejudicando o raciocínio claro do que deve ser feito.

Diante disso, é importante que você saiba como agir com calma e com a maior consciência possível para sair da melhor maneira possível dessas circunstâncias complexas e, assim, evitar dívidas.

Como evitar dívidas em tempos de crise?

1. Entenda o motivo que desencadeou a situação na qual se encontra

Não é que você deva se castigar pelas decisões financeiras que o levaram a entrar em dívidas no momento de crise, o importante é que você se responsabilize por não repetir os mesmos erros novamente.

Em relação a isso e para que você nunca se veja em uma situação semelhante, recomendamos que você adote estas dicas:

  • Diferencie o que você quer e o que realmente precisa. Sempre que você estiver prestes a comprar algo, faça a si mesmo a pergunta: eu realmente preciso disso?
  • Considere o conselho de familiares e amigos que passaram por uma crise. Lembre-se da importância de ouvir e avaliar as opiniões e recomendações de outras pessoas que passaram pela mesma experiência.
  • Não assuma dívidas que você não poderá pagar no futuro, e não solicite créditos para quitar as existentes; quanto mais dívidas você acumular, maior será as dívidas financeiras com os juros.

2. Conheça e organize suas dívidas por ordem de prioridade

Depois de ter esclarecido as razões que o levaram a ter estes gastos, é hora de organizar suas dívidas em ordem de relevância.

O mais recomendado é fazer uma lista começando com a mais urgente, que precisa ser paga o mais rápido possível.

Quando estiver claro sobre esse aspecto, entre em contato com seu executivo comercial ou banco para ver a opção de renegociação.

A renegociação ou reembolso de um empréstimo é um processo voluntário perante a instituição financeira que lhe deu o dinheiro e pode ocorrer a qualquer momento e por qualquer motivo, embora existam momentos e situações melhores que outros para fazê-lo.

Para evitar dívidas maiores, você deve focar nas já existentes, procurar métodos de solucioná-las sem pegar dinheiro emprestado ou fazer empréstimos, e não comprar nada no cartão de crédito até quitar todas elas e ficar livre de pendências.

3. Avalie suas despesas e organize suas finanças

Se você não souber ao certo o que faz com sua renda todos os meses para evitar dívidas e realizar gastos de forma consciente, é hora de analisar seu orçamento e pedir auxílio de um profissional, especialmente, se estiver passando por uma crise financeira. { Conheça: Os 5 Melhores Aplicativos para Finanças Pessoais ]

Lembre-se de que existem vários motivos para criar um orçamento que o ajude a organizar e gerenciar bem suas finanças. Seus benefícios diretos são:

  • A partir do momento em que você analisa seu orçamento, você sabe o que e como gasta seu dinheiro.
  • Terá uma visão geral detalhada do que você pode fazer e ajustar o que não pode.
  • Você pode priorizar as despesas realmente necessárias e deixar de lado as não urgentes.
  • Facilita a economia mensal, permitindo montar um plano de economia específico.

Depois de ter seu orçamento pronto, você pode decidir o que fazer com suas dívidas. Para conseguir isso, a maneira mais realista e concreta é que você esteja disposto a mudar seus hábitos de consumo.

Embora não seja fácil mudar um hábito de um dia para o outro, uma vez que envolve muito esforço pessoal, o importante é que você tenha em mente que evitar dívidas é o segredo do sucesso para conquistar os seus objetivos, e comece pelas pequenas mudanças necessárias.

Leia mais:

Cartões de Crédito para Negativados: É Possível? Como Funciona?

Cartão Dígio: Cartão de Crédito e Aplicativo

Como Funciona o Aplicativo do Mercado Pago? Como Usar?

O que é Blockchain e Como Funciona?

Adicionar Comentário